Beneficiamento do Algodão

Avalie este item
(2 votos)
Usina de Beneficiamento de algodão Usina de Beneficiamento de algodão Candeloro Cotton

O beneficiamento do algodão ocorre em várias etapas. Após colhido e compactado em módulos é direcionado para os seguintes equipamentos que compõe o “Ciclo do Beneficiamento”. 

1.Descompactador de Fardos
Neste equipamento o algodão que está em módulos de 12 metros de comprimento, por 3 metros de largura e por 3 metros de altura é descompactado por cilindros recobertos com pinos de aço que ao extrair o algodão, impulsionam o mesmo contra grelhas que fazem uma limpeza inicial. Neste estágio parte das impurezas como: galhos, folhas, pedriscos e terra são removidos e expelidos para fora do equipamento enquanto o algodão segue para o próximo estágio.

2.Ventilador de sucção
Este equipamento tem a finalidade de sugar o algodão através da tubulação até a Válvula VRS 1.

3.Válvula VRS 1
A Válvula em questão distribui o algodão e também retira impurezas mais pesadas que estão soltas do algodão.

4.Válvula Droop 1
Esta válvula faz o corte do ar que suga o algodão até a válvula VRS 1 que leva por gravidade para Coluna Secadora.

5.Coluna Secadora
A Coluna Secadora como o próprio nome diz tem a finalidade de secar o algodão. É nesta etapa que se faz a correção da umidade do algodão para que haja uma maior eficiência nas próximas etapas. O fato de o algodão passar pelas 24 gavetas faz com que o algodão fique solto e siga de uma forma mais uniforme e distribuída. O transporte do algodão dentro deste equipamento é feito com o auxílio do Ventilador Secador.

6.Ventilador Secador
Este ventilador impulsiona o algodão para dentro da Coluna Secadora forçando a passar pelas 24 gavetas e o conduz até ao Batedor inclinado 1.

mail-capture

    

mail-capture-base 

7.Batedor Inclinado 1
Nesta etapa o Algodão é batido literalmente contra as grelhas e separado das fibras, galhos, folhas e outras partículas que prejudicariam os processos posteriores. Nesta etapa as impurezas são segregadas do processo.

8.Batedor Inclinado 2
Tem a mesma finalidade do batedor Inclinado 1. Torna-se necessário em função do grande volume de algodão e proporcionando uma melhor limpeza. Nesta etapa as impurezas também são segregadas do processo.

9.HLST
Este equipamento é de fundamental importância no processo, pois é o responsável pela remoção das cascas e folhas que estão aderidas à pluma do algodão. Nesta etapa as impurezas também são segregadas do processo.

10.Válvula Droop 2
Esta válvula faz o corte do ar que Recalcou o algodão através dos Batedores Inclinados e o transporta em vácuo para uma câmara onde será sugado até a Válvula VRS 2.

11.Ventilador de Sucção do fundo da Válvula
Este ventilador suga o algodão até a Válvula VRS 2.

12.Válvula VRS 2
Tem a mesma função da Válvula VRS 1, ou seja, distribui o algodão e também retira impurezas mais pesadas que estão soltas do algodão.

13.Válvula Droop 3
Esta válvula faz o corte do ar que sugou o algodão até a Válvula VRS 2 e o transporta em vácuo para uma câmara onde cairá por gravidade na Calha da Rosca Distribuidora.

14.Rosca Distribuidora
A distribuição do algodão nos Super Mitchells é feita pela Rosca Distribuidora e o algodão excedente é levado até a Torre de Sobra.

15.Torre de Sobra
A Torre de sobra como o próprio nome já diz, serve para redistribuir o algodão excedente novamente na calha da Rosca sem que o algodão passe novamente pelos processos anteriores, preservando inalteradas as propriedades do algodão. Outra vantagem apresentada neste equipamento é o fato de se conseguir um maior controle na distribuição do algodão, consecutivamente, melhor controle de alimentação das máquinas. Este controle é feito graças a Válvula de alimentação e uma Válvula Droop.

16.Válvula de Alimentação
Está válvula tem a função de dosar a Redistribuição do Algodão.

17.Válvula Droop 4
Esta válvula tem a função de isolar a Válvula de Alimentação do ar que transporta o algodão até a Válvula VRS 3.

18.Ventilador de Sucção do Fundo da Válvula.
Este ventilador suga o algodão que sai da torre de sobra até a válvula VRS 3 que posteriormente ira redistribuir o algodão na Calha da Rosca.

19.Válvula VRS 3
Tem a mesma função das válvulas VRS 1 e 2 .

20.Válvula Droop 5
Esta válvula faz o corte do ar que recalcou o algodão até a Válvula VRS 3 e o transporta em vácuo para uma câmara onde cairá por gravidade na Calha da Rosca Distribuidora.

21.Super Mitchell
Neste equipamento a casca do algodão é Retirada, bem como as impurezas que não foram totalmente extraídas da pluma. O sistema de rolos com serrilhas proporciona uma limpeza mais apurada, deixando para o Descaroçador apenas a pluma e o caroço. Nesta etapa as impurezas são segregadas do processo e transportada através de uma calha, que é comum para todos os Mitchells e em seguida é recalcado por ar para um local apropriado pelo Ventilador da Casca. Posteriormente esta Casca será transformado em adubo orgânico.

22.Ventilador da Casca
Responsável pelo transporte da casca até o local destinado para armazenamento.

23.Descaroçador 90 Serras
Este equipamento é o responsável pelo descaroçamento do algodão. As serras removem a pluma do caroço e quando o caroço estiver desprovido de pluma, o mesmo cai por gravidade na Rosca do Caroço que é transportado até o final da calha para posteriormente ser transportado por ar até o salão de caroço pelo ventilador do Caroço. Já a Pluma é extraída das serras por jato de ar que é obtido através do ventilador de Recalque.

24.Ventilador de Recalque
Responsável pela geração do jato de ar que extrai a pluma da serra e também pelo recalque do condensador do Limpador de Pluma.

25.Ventilador de Caroço
Responsável pelo transporte da casca até o local destinado para armazenamento.

26.Exaustores de Sucção 1 e 2
Estes exaustores proporcionam a sucção da pluma até o Condensador do Limpador de Pluma 1 e 2 juntamente ao Ventilador de Recalque (24).

27.Limpadores de Pluma 1 e 2 com Condensadores
Condensador modela a pluma numa única manta uniforme para que posteriormente seja processada no limpador de plumas de maneira equalizada. O Limpador de Pluma faz a limpeza final da pluma retirando as fibras mortas (fibrilha) e algumas mínimas sujeiras que escaparam aos processos anteriores. A fibrilha é transportada para o Batedor de Fibrilha com o auxílio do ventilador de Fibrilha.

28.Ventilador de Fibrilha
Responsável pelo transporte da Fibrilha até o Batedor de Fibrilha.

29.Batedor de Fibrilha
Responsável pela limpeza da Fibrilha.

30.Exaustor de Sucção 2
Este exaustor suga o algodão vindo do Limpador de Pluma e o transporta até o Condensador.

31.Condensador
Este equipamento condensa o algodão em uma única manta uniforme para ser prensado.

32.Empurrador Pneumático
Responsável pelo transporte sincronizado do algodão até o Calcador mantendo o algodão em mantas para posterior prensagem.

33.Calcador Mecânico
Este equipamento faz a pré-compactação do Algodão para posteriormente ser prensado em definitivo pelo Pistão do Cilindro Ø 12 polegadas.

34.Prensa Hidráulica
Este equipamento faz a compactação do algodão em fardos de 200 Kg. Esta prensagem é obtida pelo Cilindro Hidráulico de Ø 12 polegadas e acionado pela Unidade Hidráulica.

35.Cilindro Hidráulico Ø 12 polegadas
É o responsável pela prensagem do fardo de pluma.

36.Unidade Hidráulica
É o equipamento que aciona o pistão do Cilindro Hidráulico Ø 12 polegadas. Tem capacidade de prensagem de 01 minuto por ciclo.

37.Ensacador de Fardos
Este equipamento reduz o set up entre um fardo e outro, proporcionando maior agilidade aos operadores de prensa e ampliando a capacidade de prensagem.

 

mail-capture

   

mail-capture-base

 

  

Tratamento de Impurezas 

As impurezas retiradas durante o benefício do algodão são tratadas da seguinte forma : 

  • No Descompactador de Fardos:
    São recolhidas manualmente e descartadas em lugares apropriados. 
  • Nas Válvulas VRS
    São transportadas por ar até os Ciclones de Tratamento de Impurezas (casa de pó). 
  • Nos Batedores Inclinados
    As impurezas retiradas neste processo são transportadas por ar até a tubulação de casca vinda dos Mitchells e de lá seguem para depósito apropriado e posteriormente são transformadas em adubo orgânico. 
  • No HLST
    Assim como nos Batedores Inclinados, as impurezas retiradas neste equipamento são transportadas por ar até a tubulação de casca vinda dos Mitchells e de lá seguem para depósito apropriado e posteriormente são transformadas em adubo orgânico. 
  • Nos Descaroçadores
    A Fibra morta ou “Piolho” pode ser descartada juntamente ao Caroço que é transportado até o salão de Caroço ou segregada e depois embalada separadamente. Entre as utilizações possíveis para o caroço do algodão, estão o uso em ração animal, fabricação de óleo, entre outros. 
  • Nos Limpadores de Pluma
    As impurezas bem como a fibrilha são transportadas por ar até o Batedor de Fibrilha  que faz a limpeza da Fibrilha que depois é embalada. 
  • Exaustores
    As impurezas sugadas pelos Exaustores são enviadas até os Ciclones de Tratamento de Impureza, que são limpos a cada 06 à 10 dias. 

As demais operações não causam ou deixam resíduos que precisem ser tratados separadamente e são limpas manualmente ao final de cada turno.

 

mail-capture

    

mail-capture-base

 

 

 

София Дървен материал цени

София Дъски цена